Inovação e Tecnologia

A Bíblia como instrumento de Inovação

Quantas vezes você já ouviu falar que precisa ser inovador e que a inovação será o diferencial do seu empreendimento? E você já pensou na Bíblia como um instrumento de inovação?

Não acredito que a inovação seja o “segredo do sucesso” para os negócios e que sem ela não chegaremos a lugar nenhum. Mas acredito que pensar sobre inovação nos faz perceber novas possibilidades e isso é muito bom para o nosso próprio aprendizado.

Ficou interessado em refletir sobre a Bíblia como instrumento de inovação? Então continue aqui com a gente! 😉

Como cristãos nós temos plena confiança de que a Bíblia é a palavra de Deus, só por isso já deveríamos mergulhar diariamente nesses escritos e tirar deles nossa inspiração.

Outro fato importante é que a Bíblia foi escrita há muito tempo atrás e ainda assim percebemos que os temas são muito atuais. Como ser mais inovador do que isso?

A Bíblia não fica ultrapassada. Se conseguíssemos aplicar essa mesma “receita” em nossos projetos, eles sempre seriam inovadores.

Acho que a maior “sacada” que a Bíblia nos traz sobre inovação é quando aprendemos a enxergá-la como um todo. Quando não utilizamos versículos soltos, sem contexto, como fontes para a nossa opinião.

Se nós lermos apenas o Antigo Testamento, teremos uma visão limitada sobre a Bíblia, se lermos apenas o Novo Testamento, também.

Se utilizarmos cada um dos livros da Bíblia de forma individual, teremos uma visão limitada sobre o que Deus quer que saibamos. Enfim, precisamos fazer o exercício de olhar o todo, o contexto.

Quando enxergamos o Antigo Testamento pelos olhos do Novo Testamento, nossa compreensão é totalmente outra. Aí pode estar um instrumento de inovação valiosíssimo!

O grande diferencial para trazer inovação, tanto para a vida pessoal como a profissional, está no “ponto de vista”.

Quando estamos treinados a enxergar uma mesma situação por diversos ângulos, estamos mais aptos a encontrar soluções que outras pessoas não conseguem.

Ter o hábito de estudar as escrituras, a partir do contexto de cada época, nos ajuda a treinar essa habilidade.

A Bíblia, de fato, é nossa fonte de inspiração para a vida, inclusive para nossas inovações. Mas lembre-se que não vale tentar relativizar a Palavra para que ela fique “politicamente correta”. 😉

Colocando em prática:

Vamos fazer um pequeno exercício. Pense em cada um dos preceitos bíblicos abaixo e reflita se ele está presente em seu projeto.

Se não está, pense de que forma ele poderia ser desenvolvido. Dessa maneira você já estará pensando em inovação para os projetos em curso.

Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. Mateus 5.29

Existe algum processo dentro do seu projeto que não esteja sendo feito de forma honesta e dentro da legislação? Existe alguma relação que esteja levando o projeto para longe do que agrada a Deus? Reflita sobre tudo que possa estar “cultivando pecados” dentro do seu projeto. É muito fácil nos acostumarmos a isso.

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas. Mateus 6.24

Esse preceito é ótimo para refletirmos sobre o propósito dos nossos projetos. Será que nosso coração está nos resultados materiais que eles podem nos trazer ou na possibilidade de servir a Deus através do seu trabalho? Esse tipo de questionamento pode fazer uma inovação de vida. 😉

_________________________

Sabemos que o tipo de inovação que nós, empreendedores cristãos, faremos, não será a mesma que o mundo faz.

Não fique desanimado se os seus projetos não fazem sentido para o mundo, desde que eles façam sentido para Deus. Utilize a Bíblia como seu instrumento de inovação.

Versículo da semana:

Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.

1Coríntios 1.18

Post Anterior Próximo Post

Você também poderá gostar

Sem comentários

Deixe seu comentário