Construindo um negócio baseado em princípios cristãos
Negócios e Empreendedorismo

Construindo um negócio baseado em princípios cristãos [Parte 01]

Você se sente desanimado com os modelos de negócio que existem por aí? Poucos modelos estão alinhados com aquilo que você acredita? Que tal construir um negócio baseado em princípios cristãos?

Essa ideia pode ser diferente do que você costuma escutar, mas é uma forma de construir um negócio ético e responsável. Mesmo que você não seja cristão, lhe convido para essa reflexão.

Neste artigo vamos alinhar ideias sobre o que são os princípios cristãos e como aplicá-los na construção do seu negócio.

Está pronto? Então vamos lá!!

Para começar já vou avisando que se você procura um modelo de fácil aplicação com um retorno financeiro garantido, então este post não é para você! 😉

Na verdade nenhum negócio tem garantia de retorno financeiro positivo, mas o que acredito é que, independentemente disso, precisamos fazer as coisas da maneira mais correta possível. Você concorda com isso?

Não basta reclamar da corrupção, da intolerância e afins. Se queremos construir um mundo mais justo, precisamos começar por nós mesmos.

É nessa linha de pensamento que vamos seguir. Pensar sobre como aplicar princípios cristãos na prática dos negócios, mesmo que isso implique em descontinuar parcerias estabelecidas (prejudiciais e não éticas).

  • Será que os princípios cristãos podem ser aplicados a todos os tipos de negócio?
  • Será que vou perder clientes se fizer isso?
  • Será que serei discriminado?

Essas perguntas refletem alguns dos medos de quem procura alinhar o seu negócio com os próprios princípios. Eu mesma já me fiz essas perguntas muitas vezes.

Mas a verdade é que não temos garantia de nada. Na minha opinião, fazer as coisas da maneira correta deve ser prioridade, mesmo que as consequências sejam aparentemente ruins.

O que são os princípios cristãos?

Vou utilizar a expressão “princípios cristãos” para comportamentos baseados no exemplo bíblico de Jesus Cristo.

Neste artigo vamos utilizar o comportamento dele e aplicá-lo na gestão dos negócios.

Utilizar os princípios cristãos como base para a construção de um negócio tem a ver com acreditar que eles são importantes e corretos.

Existem muitos negócios sendo construídos com base em outras crenças também e, em todos os casos, essa escolha precisa estar alinhada com o que o empreendedor acredita.

Vamos conversar um pouco sobre alguns princípios cristãos para que você possa entender se eles fazem sentido para o seu negócio.

Alguns princípios cristãos e formas de aplicá-los

Os princípios que irei relacionar abaixo são a minha percepção sobre como o comportamento de Jesus pode servir de exemplo para a construção de um negócio.

Todos os princípios cristãos aqui abordados foram pensados com base em um contexto maior da vida de Jesus e não em alguma história específica.

Levando tudo isso em consideração, vamos lá para o que interessa:

Abrir mão de um conforto passageiro para o bem maior

Acredito que esse comportamento de Jesus tem muito a nos ensinar como pessoas, como líderes e como empreendedores cristãos.

Isso tem a ver com a liderança visionária, aquela que enxerga além do aqui e do agora. Que sabe que muitas vezes é preciso abrir mão de conforto temporário para fazer o que precisa ser feito.

Construir um negócio aplicando esse princípio quer dizer pensar de forma sistêmica. Não levar apenas o seu ponto de vista e suas necessidades em consideração. É se colocar no lugar do outro e refletir sobre as coisas que precisam ficar para trás.

Cumprir o que promete

Esse princípio não está em alta nos dias atuais. Promessas são quebradas a todo instante. Relações são desperdiçadas porque promessas não são cumpridas.

Quando você pensa em construir um negócio com princípios cristãos, você precisa entender o que pode prometer.

Não prometa coisas que não pode cumprir, isso não é ético.

Imprevistos acontecem e algumas vezes você não conseguirá cumprir o que prometeu, mas quando isso é rotineiro, é sinal de que algo está errado.

Dar importância ao que realmente importa

Em nossa sociedade muitas coisas aparentam ser mais importantes do que outras. Coisas são mais importantes que pessoas e classe social parece ser um nivelamento de importância pessoal.

Jesus tratava todos com o mesmo grau de importância, não importava se era rico ou pobre, homem ou mulher, criança ou idoso, nem se era judeu ou não judeu.

Quando você constrói um negócio com princípios cristãos, você deve tratar todas as pessoas como iguais em dignidade.

Responsabilidade pelos seus atos

Todas as decisões, pessoais ou empresariais, geram consequências.

Ser responsável e não fugir das consequências das suas escolhas é uma forma de aplicar um princípio cristão na construção do seu negócio.

Isso tem a ver com o “fazer o que é correto”, mesmo que não seja tão popular assim.

Construir um negócio é um grande desafio. Tomar decisões que fogem do padrão pode trazer algum incômodo momentâneo, mas com certeza ter a consciência tranquila é uma grande recompensa.

Não colocar os próprios interesses em 1° lugar

Esse princípio pode ser mal compreendido e muito difícil de se colocar em prática. É um exercício diário.

Muitas vezes nossos interesses são egoístas e não levam em consideração o bem do todo, nesses casos precisamos pensar criticamente sobre nossas escolhas.

Um negócio, baseado em princípios cristãos, muitas vezes precisa deixar de lado os interesses pessoais do proprietário para ajudar da melhor maneira possível a sociedade.

Isso dentro do propósito do próprio negócio.
_______________________________

Esses são alguns princípios que você pode utilizar como norteadores das suas decisões e do seu comportamento. No próximo artigo trarei mais alguns! 😉

No final tudo se resume em respeito e amor. Concorda com isso?

Nos conta aqui nos comentários sobre a sua experiência em aplicar princípios cristãos no seu negócio. Vou ficar feliz em ouvir!

Para ler a [Parte 2] clique AQUI.

Para receber nossas novidades cadastre o seu e-mail aqui no Blog.

Um abraço,

Post Anterior Próximo Post

Você também poderá gostar

Sem comentários

Deixe seu comentário